botao manager

O que está acontecendo com os negócios?

Cacique Juruna acaba de assinar com Espelhinho Decorativo numa negociação de troca com o Homem Branco que recebeu Iracema, a virgem dos lábios de mel, para concretizar o negócio.

Nessa segunda (09/10) Richard Thaler foi laureado com o prêmio Nobel de economia por unir economia e psicologia. O norte americano de 72 anos ao longo de anos tem pesquisado e desenvolvido contribuições importantes para o ramo conhecido como economia comportamental.

A essa altura você já deve estar se perguntando… O que car@!*#$ isso tem a ver com o craque digital? Será que é um scout antigo do Fonseca querendo se promover? Nada disso senhores. Podemos fazer um reflexão do estudo do senhor Thaler com o que vem acontecendo no craque. Em seus estudos o norte americano desenvolveu um conceito chamado racionalidade limitada. Ele mostrou como a aversão às perdas pode explicar por que as pessoas valorizam ainda mais o que possuem.

https://qzprod.files.wordpress.com/2017/10/richard-thaler.jpg?quality=80&strip=all&w=1449
Até que faz sentido com esse simpático carinha diz.

O que temos hoje na nossa liga favorita é uma estagnação de negócios. Nunca antes na história desse país no craque digital se negociou tão pouco como agora. Muito desse fenômeno pode ser explicado pelo medo de perder. Medo da famosa manta. A falta de uma referência de valor expõe a limitação básica de uma economia baseada em trocas.

O tema é polêmico. Cercado de emoções e mitos. A introdução de uma moeda virtual é visto como solução para alguns, mas início do fim para outros. A manta faz parte da cultura do craque. E nem mesmo a monetização acaba com ela, mas a estagnação dos negócios torna cada vez mais evidente que algo precisa ser pensado.

Certamente quando formulou suas teorias e estudos Sr Thaler não tinha a dimensão de como isso poderia explicar um mercado virtual. O pesquisador explica que a dor da perda é muito mais intensa que a alegria da conquista. Se nos ensinará algo é impossível prever, mas certamente vale uma reflexão sobre a eficiência da economia baseada em escambo.

Por Marcos Fonseca.

 

Quando o Fonseca me abordou com essa pertinente observação, eu concordei na hora!

Como Logan diz para Charles Xavier, o mundo não é mais o mesmo. Tão pouco os negócios.

Tá foda Charles!

Com o problema escancarado, fui às ruas parra saber se as pessoas também estão sentindo essa queda no número dos negócios, e qual ou quais são os motivos para tal.

Para isso, visitei 1 técnico de cada divisão para saber suas opiniões sobre este tema polêmico.

Começando pelo começo, Maguin (Bayern) – Série A

Senti negócios mais entre grupos. Algumas pessoas já caem na ideia de estereótipos formados por opiniões de outros. Muita opinião de “amigo”, isso inviabiliza vários negócios.

Brenke (Napoli) – Série B

Achei que os números de negócios diminuíram sim. Mas para buscar uma explicação do porque, posso me citar como exemplo. Meu time está fechado, então não há porque eu negociar muito. Só preciso melhorar posições pontuais. Por outro lado, propostas ruins, pessoas que não respondem também atrapalham, falo isso por experiência própria.

Marco (Arsenal) – Série C

Sim percebi isso também, não foi meu caso, mudei meio time. E creio que fiz alguns negócios justos que ajudaram o time. A galera, grande maioria não negocia o jogador desejado que vai render por outro de maior overall.  Por que o pessoal fala e tem medo de ser zoado, e assim deixa de fortalecer o time.Temos vários exemplos de técnicos que ficam segurando aquela pérola. Ao invés de fortalecer meio time. Quer dois jogadores de alto valor . Assim perdendo a chance. Na contra mão temos técnicos que negociam muito e formam ótimas equipes.

Leandro (West Ham) – Série D

Cara. Eu fechei vários negócios. Eu não acho que eu seja bom negociador, eu tomo manta toda hora. O que eu faço bem é descobrir o que o outro técnico precisa e trazer pra mesa. Teve um caso aí que eu fui atrás de um certo jogador que já jogou no Brasil, no time de um certo técnico, que possibilitou a negociação. Além desse jogador ser bom, acredito que o lado emocional da ligação com o clube brasileiro pesou para fechar o negócio. Isso é só um exemplo. O que eu percebi nessa janela, principalmente nessa pq isso já é algo que acontece há mais tempo, são três aspectos:

1) o apego e supervalorização a jogadores (tanto bons como ruins)

2) a necessidade de SEMPRE sair ganhando (o que é relativo)

3) falta de capacidade em avaliar o elenco do outro técnico para oferecer um negócio compatível

Esses pontos se explicam, por exemplo, pela ausência de norte e objetivo do técnico. Pra quem não sabe o que quer, tudo e nada servem.

Charlinho (Newcastle) – Série E

Senti um pouco isso sim. Eu não mexo mto no meu time, mesmo assim negocio mais que muitos aí. Acho que estamos vindo de janelas muito longas seguidas. a janela anterior a essa foi longa por ser inicio de temporada. agora a janela de transição pro 18 tende a deixar o pessoal mais receoso em fazer negócios até entender o jogo e tudo mais. Da minha parte posso dizer que como não treino muito é mais confortável manter a base do time pq já conheço, ao invés de refazer todo o time, como por exemplo, o Leandro faz toda janela.

Identificamos o problema, quais são os sintomas, e por fim apontamos alguns fatores que atrapalham e muito na hora de assinar no site aquele jogador que você tanto quer.

 

 

Jornalismo Craque Digital – Luca Bueno

 

 

 

Comments (2)

  1. Sir Boka (Man United)

    Muito bom.!

  2. Fellipe da Luz

    Eu ja remontei meu elenco nao posso reclamar

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.